Pedro Luiz Martins Cruz

Pedro Luiz Martins Cruz

compartilhe:   compartilhar no facebook compartilhar no twitter compartilhar no linkedin compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram

Quais são as metodologias ágeis?

Logo após a publicação do Manifesto Ágil muitas pessoas consideravam XP como sinônimo de Ágil, depois isso aconteceu com o Scrum. Mas existem várias outras metodologias ágeis como Crystal, Kanban, Flight Levels, SAFe e outros. Vamos mergulhar no mundo das metodologias ágeis.

19/abril/2022 - 19 minutos de leitura

Temos alguns critérios para considerar uma metodologia como pertencendo ao grupo de metodologias ágeis. O primeiro critério é o criador do método ter participado da assinatura do Manifesto Ágil. O segundo critério que vamos usar é se a metodologia segue os mesmos valores e princípios expostos no Manifesto Ágil.

Para deixar mais claro os critérios vamos mencionar o manifesto e a frase mais importante do manifesto é a frase inicial e que muitas pessoas ignoram quando explicam o Manifesto Ágil, a frase: “Estamos descobrindo maneiras melhores de desenvolver software, fazendo-o nós mesmos e ajudando outros a fazerem o mesmo." Ou seja, vamos começar pelas metodologias que existiam na época do Manifesto Ágil, mas não vamos parar por aí, pois a busca é contínua por melhores formas de trabalhar.

Nas metodologias criadas após o manifesto vamos nos basear principalmente nos valores descritos logo após essa frase e também nos princípios do manifesto.

Metodologias dos Signatários do Manifesto Ágil

O Manifesto Ágil foi assinado em fevereiro de 2001 em uma reunião com pessoas que utilizavam métodos leves (denominação em inglês lightweight methods) de gestão para ajudar no desenvolvimento de software.

Alguns signatários tinham criado seus próprios métodos e tiveram sucesso nos seus projetos. Naquela época, a maioria dos projetos falhavam e eles estavam encontrando melhores formas de gerenciar e desenvolver software.

Vale ressaltar que o Manifesto Ágil referência desenvolvimento de software, seu nome é: Manifesto para Desenvolvimento Ágil de Software, portanto ficará claro a vasta contribuição técnica de programação e software a seguir na lista de contribuições dadas pelos signatários.

Mas vamos destacar as metodologias, pois elas vêm sendo aplicadas em diversas áreas de conhecimento e se tornaram excelentes formas de melhorar a gestão do trabalho.

Os signatários vem palestrando e contribuindo bastante com os conhecimentos de agilidade, além disso destacamos suas contribuições e seus livros:

Signatário Contribuição

Kent Beck

Metodologia: Extreme Programming - XP (criador)

Escreveu os livros:

  1. Smalltalk Best Practice Patterns
  2. Extreme Programming Explained: Embrace Change
  3. Planning Extreme Programming
  4. Test-Driven Development by Example
  5. Implementation Patterns
  6. Criou o JUnit

Mike Beedle

Metodologia: Scrum (contribuiu)

Era doutor em Física

Foi CEO, Enterprise Scrum Inc.

Co-autor do primeiro livro de Scrum: Agile Software Development with Scrum

Criou o Enterprise Scrum para escalar o Scrum

Arie van Bennekum

Co-autor do livro: Lean Agile Marketing: How to Become Agile and Deliver Marketing Succes

Alistair Cockburn

Metodologia: Crystal (criador), Heart of Agile (criador)

Doutor em Ciência da Computação

Cofundador do International Consortium for Agile

Escreveu os livros:

  1. Surviving Object-Oriented Projects
  2. Writing Effective Use Cases
  3. Agile Software Development
  4. Patterns for Effective Use Cases
  5. People and Methodologies in Software Development
  6. Crystal Clear : A Human-Powered Methodology for Small Teams
  7. Agile Software Development: The Cooperative Game

Ward Cunningham

Metodologia: Extreme Programming - XP (contribuiu)

Mestre em Ciência da Computação

Desenvolveu o primeiro Wiki

Escreveu o livro: The Wiki Way

Martin Fowler

Metodologia: Extreme Programming - XP (contribuiu)

Chief Scienist da ThoughtWorks

Escreveu os livros:

  1. Analysis Patterns: Reusable Object Models
  2. UML Distilled: A Brief Guide to the Standard Object Modeling Language
  3. Refactoring: Improving the Design of Existing Code
  4. Planning Extreme Programming
  5. Patterns of Enterprise Application Architecture
  6. Domain-Specific Languages
  7. NoSQL Distilled: A Brief Guide to the Emerging World of Polyglot Persistence
  8. Refactoring: Ruby Edition

Mantém o site: martinfowler.com/

James Grenning

Escreveu o livro: Test-Driven Development for Embedded C: Building Hihg Quality Embedded Software

Criou o Planning Poker

Jim Highsmith

Metodologia: Adaptive software development - ASD (criador)

Escreveu os livros:

  1. Adaptive Software Development: A Collaborative Approach to Managing Complex Systems
  2. Agile Software Development Ecosystems
  3. Agile Project Management: Creating Innovative Products
  4. Adaptive Leadership: Accelerating Enterprise Agility
  5. EDGE: Value-Driven Digital Transformation

Andrew Hunt

Escreveu os livros:

  1. The Pragmatic Programmer
  2. Série: The Pragmatic Bookshelf
  3. Practices of an Agile Developer

Ron Jeffries

Metodologia: Extreme Programming - XP (contribuiu)

Escreveu os livros:

  1. Extreme Programming Installed
  2. Extreme Programming Adventures in C#
  3. The Nature of Software Development: Keep It Simple, Make It Valuable, Build It Piece by Piece

Jon Kern

Mantém o site: technicaldebt.com/

Brian Marick

Escreveu os livros:

  1. The Craft of Software Testing: Subsystems Testing Including Object-Based and Object-Oriented Testing
  2. Everyday Scripting with Ruby – For Teams, Testers and You
  3. Programming Cocoa with Ruby: Create Compelling Mac Apps Using RubyCocoa

Robert C. Martin

Mantém o site: cleancoder.com

Escreveu os livros:

  1. Designing Object-Oriented C++ Applications Using the Booch Method
  2. Agile Software Development, Principles, Patterns, and Practices
  3. Clean Code: A Handbook of Agile Software Craftsmanship
  4. The Clean Coder: A Code Of Conduct For Professional Programmers
  5. Clean Architecture: A Craftsman's Guide to Software Structure and Design
  6. Clean Agile: Back to Basics
  7. Clean Craftsmanship: Disciplines, Standards, and Ethics

Steve Mellor

Escreveu os livros:

  1. Object Oriented Systems Analysis: Modeling the World in Data
  2. Object Life Cycles: Modeling the World In States
  3. Executable UML: A Foundation for Model Driven Architecture
  4. MDA Distilled

Ken Schwaber

Metodologia: Scrum (cocriador)

Head da Scrum.org

Cofounder da ScrumAlliance

Escreveu os livros:

  1. Agile Software Development with Scrum
  2. The Enterprise and Scrum
  3. Software in 30 Days: How Agile Managers Beat the Odds, Delight Their Customers, And Leave Competitors In the Dust

Jeff Sutherland

Metodologia: Scrum (cocriador)

CEO da Scrum Inc

Escreveu os livros:

  1. Software in 30 Days: How Agile Managers Beat the Odds, Delight Their Customers, And Leave Competitors In the Dust
  2. Scrum: The Art of Doing Twice the Work in Half the Time
  3. A Scrum Book: The Spirit of the Game

Dave Thomas

Escreveu os livros:

  1. The Pragmatic Programmer
  2. Série: The Pragmatic Bookshelf

 
Como podemos ver os autores do Manifesto Ágil publicaram vários livros de tecnologia e programação e criaram os métodos: XP, Scrum, ASD, Crystal e Heart of Agile.

Extreme Programming - XP

A metodologia mais importante na época era o XP, por já ter livro publicado e ter ocorrido um evento para divulgar o método em 2000 na Itália. Seu criador é o Kent Beck e ele é um dos signatários. O XP teve as contribuições de Ward Cunningham e Martin Fowler.

Logo após o manifesto muitas pessoas entendiam que o Ágil era XP e XP era Ágil, como se fossem a mesma coisa, como citado em 2003 por Gavin. [1]

Até hoje as pessoas usam XP, mas pesquisas mostram menor uso nas empresas. [2]

Scrum

O Scrum teve apoio de vários signatários e ganhou bastante visibilidade, tanto que é a metodologia mais utilizada nas empresas [2]. Criado por Ken Schwaber e Jeff Sutherland, teve várias contribuições no tempo, sendo as contribuições mais importantes de Mike Beedle.

Crystal

Crystal tinha várias versões e a versão para pequenos times era a considerada como um método leve e então considerada um método ágil. Porém não tem aparecido nas pesquisas como um método sendo utilizado atualmente. [2]

Adaptative software development - ASD

ASD é um método bastante conceitual e abstrato, propondo principalmente que as práticas apareçam conforme a necessidade, estimulando muito a colaboração entre todos do time. O ASD também não tem aparecido nas pesquisas como um método sendo utilizado atualmente.

Feature Driven Development - FDD

Um método criado antes do manifesto e que segue os mesmos princípios. O FDD não incorpora o início de um novo projeto, ele pressupõe que alguma coisa já existe e em cima disso segue uma abordagem de identificar, design e implementação de novas funcionalidades. Também aparece pouco nas pesquisas.

Heart of Agile

Heart of Agile foi colocado na lista como uma metodologia, pois o signatário Alistair Cockburn a criou, porém ele criou como um movimento em 2015 (15 anos após o manifesto) para resgatar os princípios do Ágil. Incluímos como metodologia pois vemos uma evolução nos ensinamentos e percebemos algumas orientações como metodologia.

Metodologias que seguem os princípios do Manifesto Ágil

Como citamos anteriormente, vamos considerar também as metodologias que seguem os mesmos princípios do manifesto. Duas características interessantes dos métodos ágeis é aproximar mais o cliente e usar ciclos curtos de entrega para formar uma grande entrega a partir disso. As próximas metodologias que citaremos aqui seguem essas características e também os valores do manifesto.

O Manifesto Ágil possui seus valores descritos como um filtro de decisão, são eles:

Indivíduos e interações mais que processos e ferramentas Software em funcionamento mais que documentação abrangente Colaboração com o cliente mais que negociação de contratos Responder a mudanças mais que seguir um plano

O formato das frases onde uma coisa é mais valorizada que outra e com isso não descarta a menos valorizada, serve para ajudar a decidir por coisas mais importantes.

Portanto as metodologias a seguir seguem esse filtro de decisão, dando mais valor para os itens à esquerda, mesmo que também façam uso dos itens à direita.

Lean

O Lean foi criado antes do manifesto e influenciou na decisão dos princípios. Durante a criação do Manifesto Ágil o Lean foi mencionado por seus participantes e eles cogitaram usar o nome Lean no manifesto, mas o grupo acabou preferindo a palavra "ágil".

Os livros que descrevem os métodos ágeis Scrum e XP citam muitas vezes o Lean. Kent Beck incluiu flow na segunda versão do livro de Extreme Programming [3] e o Scrum Guide cita a influência do Lean [4]. Porém a criação do Lean é bastante antiga, desenvolvido pela Toyota como Sistema Toyota de Produção e depois nomeado como Lean pelo livro A Máquina que Mudou o Mundo.

Incluímos aqui o Lean como uma metodologia ágil por possuir os mesmo princípios do manifesto e inclusive servir de inspiração para os criadores do Manifesto Ágil e de suas metodologias.

Mais um grande impulsionador para considerar o Lean como um método ágil foi o livro Lean Startup (Startup Enxuta em português) escrito por Eric Reis [5], onde junta com maestria as técnicas do Lean com técnicas dos métodos ágeis e populariza também o uso do MVP.

Kanban

O Kanban foi criado por David Anderson e nos primórdios a metodologia era chamada de Lean Kanban. A metodologia Kanban resgatou vários dos ensinamentos do modelo industrial do Lean e aprofundou bastante para gestão de trabalho do conhecimento, ampliando seu uso em diferentes áreas de atuação.

Atualmente é uma metodologia muito forte na comunidade ágil e tem ajudado bastante a adaptar o uso de métodos ágeis para diferentes empresas. Tanto Kanban quanto Lean têm sido uma forma de diversificar o uso de métodos de gestão além das equipes de desenvolvimento de software.

O método é muitas vezes confundido com o quadro kanban, o qual faz bastante uso. Além do quadro, o método Kanban usa muitas técnicas de fluxo de trabalho, detalhando bem o fluxo e proporcionando muita gestão, isso faz dele o método mais adaptável dos citados aqui.

O método Kanban tem evoluído muito, podendo ser aplicado em times e serviços ou até em escala por toda a organização. Uma grande contribuição do Kanban foi o Modelo de Maturidade Kanban que auxilia muito na visão corporativa do uso de métodos ágeis.

OKR

A metodologia criada pela Intel e popularizada pelo uso no Google, seguem os princípios do Manifesto Ágil e possui uma relação ótima com os demais métodos ágeis. A abordagem de OKR provoca um alinhamento estratégico organizacional muito bom usando a grande característica dos métodos ágeis de ciclos curtos, porém adequados ao nível estratégico.

Os ciclos curtos usados em Scrum e XP são ciclos pequenos menores de 1 mês, principalmente por lidar com coisas menores no nível operacional. Já o OKR lida com objetivos e seus resultados chaves desde o nível estratégico e descendo pela organização, portanto propõe ciclos de 3 meses.

Design Thinking

O Design Thinking surge na lista de metodologias ágeis pelas características citadas e também mais algumas. Assim como o design thinking, os métodos ágeis foram criados para melhorar o desenvolvimento de produtos e usam facilitação no seu processo.

O Design Thinking é um conjunto de boas práticas de design que tem sido muito praticado no desenvolvimento de produtos e de softwares, foi incorporado na nossa lista por seguir os mesmos princípios e proporcionar excelentes resultados.

Flight Levels

Flight Levels foi criado por Klaus Leopold e divulgado no seu livro Repensando Agilidade. O método usa os termos “operacional”, “tático” e “estratégico” como níveis de aplicação de métodos por toda uma organização.

Usa principalmente o método Kanban, mas podem ser utilizados outros métodos, em cada um dos níveis criando uma integração por toda a organização. Cada nível é chamado de um nível de voo (flight em inglês) trazendo assim o nome do método.

SAFe

A sigla significa Scale Agile Framework (Framework de Ágil em Escala). É um método que incorpora os demais métodos para aplicar em organizações muito grandes com milhares de funcionários.

Large Scale Scrum - LeSS

Método de escala usando Scrum, propondo uso de 8 times com 8 pessoas ou até milhares de pessoas focadas em um único produto. A grande característica é o sincronismo de sprints entre times. É a metodologia de escala apoiada pela ScrumAlliance.

Nexus

Outro método de escala usando Scrum, propondo de 3 a 9 times de Scrum trabalhando em um único produto. Similar ao LeSS possui a característica de sincronizar os times em uma única Sprint. É a metodologia de escala apoiada pela Scrum.org.

Disciplined Agile - DA

Disciplined Agile foi criado por Scott Ambler e Mark Lines e evoluiu para incorporar muitas técnicas de ágil em uma única caixa de ferramentas. Scott Ambler tem sido o seu grande evangelizador. Em 2019 o PMI adquiriu o método.

Conclusão

Buscamos uma forma consistente de listar as metodologias ágeis nesse artigo, mas podem existir outros métodos que seguem os mesmo princípios e valores do Manifesto Ágil. A nossa lista citou:

  1. XP
  2. Scrum
  3. Crystal
  4. ASD
  5. FDD
  6. Heart of Agile
  7. Lean
  8. Kanban
  9. OKR
  10. Design Thinking
  11. Flight Levels
  12. SAFe
  13. Less
  14. Nexus
  15. DA

Chamamos todos de método ou de metodologia para simplificar a nossa análise. Alguns se consideram método, outros metodologia, mas temos outros termos que são usados, como framework, modelo de pensamento e conjunto de práticas. Mas todos seguem os mesmos princípios e valores e ajudam na gestão do trabalho.

Quer conhecer esses métodos de forma mais profunda?

Se inscreva nos nossos cursos.

Aprenda - Metodologias Ágeis

Temos um treinamento em vídeos gratuito sobre métodos ágeis que você pode fazer no seu tempo. Dentro do treinamento temos um módulo dedicado ao XP, outro módulo dedicado ao Lean, também para o Scrum e Kanban. Indicamos fazer todo o treinamento, você vai ganhar bastante conhecimento.

Treinamento gravado de metodologias ágeis

Referências

[1] The Agile Umbrella, http://www. featuredrivendevelopment .com/node/531 acessado em 19/04/2022.

[2] State of Agile 2021:https://info.digital.ai/rs/981-LQX-968/images/RE-SA-15th-Annual-State-Of-Agile-Report.pdf;
State of Agile 2020: https://www.qagile.pl/wp-content/uploads/2020/06/14th-annual-state-of-agile-report.pdf;
State of Agile 2019: https://www.duxdiligens.com/wp-content/uploads/2019/09/13th-annual-state-of-agile-report_7_May_2019.pdf

[3] Kent Beck e Cynthia Andres. ​​Extreme Programming Explained: Embrace Change, 2a edição, Addison-Wesley Professional, 2004.

[4] ScrumGuides: https://scrumguides.org/

[5] Eric Ries. A Startup Enxuta, Editora Sextante, 2009.

Acompanhe:

Synergyc no Youtube  Synergyc no Instagram  Synergyc no Facebook  Synergyc no Linkedin  Synergyc no Twitter